INE: Preços dos seguros aumentaram 2,1% em 2021 mas continuam mais baratos que em 2012

O INE retira prémios e indemnizações e foca-se no serviço das empresas de setor para calcular a inflação nos seguros. No ano passado os preços cresceram, mas continuam mais baratos que em 2012.

 

Os preços dos seguros aumentaram 2,1%, considerando a variação homóloga no mês de dezembro de 2021 e 2020, valor abaixo do registado para o IPC nacional que se fixou em 2,7% para o mesmo indicador e em 1,3% se considerada a inflação média mensal.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) relativo ao último mês do ano passado, agora divulgado pelo INE, desagrega a análise dos preços de seguros em quatro classes registando um aumento dos preços, comparando dezembro de 2021 e 2020, dos seguros relacionados com a Habitação em 1,7% e nos relacionados com Transporte em 3,2%. Em sentido inverso os preços dos seguros relacionados com a saúde baixaram 0,1% enquanto todos os outros seguros permaneceram quase inalterados.

 

 

O IPC elaborado pelo INE quanto aos seguros incide sobre a taxa de serviço cobrada pelas empresas de seguros. Essa taxa é calculada subtraindo aos prémios brutos dos seguros e prémios suplementares as indemnizações e a variação das reservas atuariais. Na prática está fortemente condicionada pela taxa de sinistralidade e consequente rentabilidade dos diferentes ramos objeto de análise.

Como a base do IPC é 2012 verifica-se que os preços dos seguros, na ótica dos serviços prestados pelas empresas de seguros estão 0,4% abaixo do valor de quase 10 anos, enquanto o IPC geral aumentou 6,7% nesse período. Por classes, os seguros relacionados com a habitação subiram 7,7% desde 2012 e os relacionados com a saúde 16%. Os seguros relacionados com Transportes baixaram 5,2% em quase 10 anos e a classe de outros seguros registou uma quebras de preços de 10,5% no mesmo período. Os prejuízos crónicos dos últimos anos nos ramos automóvel e acidentes de trabalho, com taxas de sinistralidade acima dos 100% do valor dos prémios, terão influência neste desempenho negativo para o negócio da indústria seguradora.

 

Fonte: https://eco.sapo.pt/2022/01/13/ine-precos-dos-seguros-aumentaram-21-em-2021-mas-continuam-mais-baratos-que-em-2012/

APS aconselha proprietários a verificarem coberturas dos imóveis habitacionais e os capitais seguros

A Associação Portuguesa de Seguradores (APS) disponibiliza uma ferramenta digital gratuita para ajudar a calcular o capital do seguro de incêndio e elementos da natureza e de multirriscos dos imóveis habitacionais.

 

A Associação Portuguesa de Seguradores (APS) disponibiliza uma ferramenta digital gratuita para ajudar a calcular o capital do seguro de incêndio e elementos da natureza e de multirriscos dos imóveis habitacionais.

No arranque do novo ano, “a APS aconselha  os consumidores a revisitarem os seus contratos de seguro, verificando as coberturas contratadas – nomeadamente as relacionadas com fenómenos da natureza – e atualizando os capitais seguros”, refere a entidade liderada por José Galamba.

No caso concreto das apólices de seguros de Incêndio e Elementos da Natureza e de Multirriscos de habitação, a APS recorda que o SCRIM – Simulador para o Cálculo de Custo de Reconstrução de Imóveis se encontra disponível, de forma digital e gratuita  para apoiar os tomadores de seguro na determinação do capital a segurar.

“Transparente e de fácil utilização, o SCRIM está concebido para ajudar o tomador do seguro a realizar, a partir de um nível de informação relativamente simples, a projeção do valor de reconstrução do imóvel, isto é, o valor do capital seguro”, diz a APS.

Com base num conjunto de informações a introduzir pelo utilizador – área, qualidade, localização, arquitetura e outros elementos caracterizadores do imóvel – é calculado, no momento, um valor de referência do custo de reconstrução da habitação, ou seja, o valor que custaria erguer de raiz, depois de totalmente destruído, um imóvel ou fração com um padrão equivalente.

O valor obtido poderá e deverá ser sempre objeto de ajustamento por parte do tomador do seguro no caso de a fração ou imóvel apresentar características específicas face a uma habitação padrão equivalente.

A APS destaca que os resultados obtidos através deste simulador são meramente indicativos. Os tomadores não estão, por isso, obrigados a aceitá-los, cabendo-lhes sempre a responsabilidade de indicar o valor, em concreto, pelo qual pretendem segurar o seu imóvel.

Disponível através do site da APS, este simulador conta, desde o seu lançamento oficial, no dia 15 de março de 2021, com cerca de 100 mil visitas.

O SCRIM foi desenvolvido com base numa fundamentação metodológica produzida de forma totalmente independente pela FUNDEC, Associação para a Formação e o Desenvolvimento em Engenharia Civil e Arquitetura, ligada ao Instituto Superior Técnico.

 

Fonte: https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/aps-aconselha-proprietarios-a-verificarem-coberturas-dos-imoveis-habitacionais-e-os-capitais-seguros-827267

8 resoluções de Ano Novo a pensar na família

As resoluções de Ano Novo são uma oportunidade para fazer um balanço do que está para trás, definir objetivos e comprometer-se com mudanças futuras, que o ajudem a promover uma vida familiar mais ativa, saudável, sustentável e financeiramente segura.

Para o apoiar neste novo começo, conheça as oito propostas de resoluções de Ano Novo do Mundo Z da Zurich. São pequenos gestos com um grande impacto para um melhor 2022 e para todos os anos que se seguirão.

 

1. Uma família mais ativa, o ano todo. Crie momentos familiares ativos regulares, para contrariar o sedentarismo e melhorar a saúde. Introduza semanalmente atividades desportivas, aproveitando o bom tempo para passear de bicicleta, fazer patinagem ou jardinagem. Nos dias mais frios ou com chuva, dê preferência a atividades que possam ser feitas dentro de casa ou em espaços fechados, como dança, bowling ou até jogos tradicionais.

2. Mais tempo para a literacia financeira. A segurança financeira é fundamental para proteger a sua família, garantindo que haverá sempre um montante disponível para gerir despesas inesperadas ou fazer frente a alterações na fonte de rendimento. Como primeiro passo, defina um orçamento familiar, e procure aprofundar os seus conhecimentos em literacia financeira, recorrendo gratuitamente a diversos recursos disponíveis em várias plataformas digitais.

3. Começar (ou reforçar) as poupanças familiares. Torne esta resolução num compromisso de poupança regular, colocando um montante de parte no início de cada mês. Para maximizar a sua poupança, pondere optar por soluções que lhe permitam, além de amealhar uma certa quantia, colher dividendos mais tarde.

4. Pôr as mãos na massa em família (com novos hábitos alimentares). Promover a preparação de refeições em família permite momentos de partilha e proximidade, e também transmitir aos mais novos competências de culinária, gestão de tarefas e limpeza. Aproveite para lhes ensinar as vantagens de uma alimentação saudável, optando por confecionar refeições equilibradas para todos, e adotando novos hábitos alimentares.

5. Fazer da reutilização um hábito. Reutilizar diferentes materiais é um contributo para um Ano Novo protegido em termos financeiros e ambientais. Incentive toda a família a encontrar novos usos para objetos em casa, doando roupas que já não servem, transformando embalagens vazias em brinquedos, ou aproveitando outros materiais para objetos de decoração. Adote o mesmo princípio quando precisa de adquirir novos itens: procure feiras, lojas e plataformas digitais que vendam em segunda mão.

6. Contribuir mais para a comunidade. Quer seja a apoiar outras famílias, a proteger o ambiente ou a cuidar de animais, faça voluntariado em família. Proteger a sua comunidade reflete-se também num futuro melhor, mais justo e sustentável para os seus filhos e netos, transmitindo-lhes valores como a entreajuda, a gentileza e a caridade.

7. Preparar o futuro dos seus filhos, à prova de qualquer cenário. Ninguém gosta de pensar em cenários mais graves, mas esta é também uma das responsabilidades enquanto pais, garantindo que os filhos beneficiarão sempre de uma proteção financeira. Aproveite para traçar estratégias que providenciem essa segurança, criando, por exemplo, uma poupança para os mais novos já a pensar na faculdade, ou contratualizando um seguro de vida para si, que possa servir-lhes de salvaguarda financeira em caso de acidente, morte ou doença crónica.

8. Mais privacidade na era digital. Apesar das vantagens da Internet e das redes sociais, é fundamental estabelecer regras e bons hábitos para evitar ataques à privacidade. Comece por analisar todos os aparelhos conectados e verificar todas as aplicações, programas e emails, eliminando os que já não usam e que possam ser um ponto de acesso a dados pessoais. Garanta também que as definições de privacidade e segurança definidas nos dispositivos, programas e aplicações permitem a máxima proteção de navegação. Aproveite para transmitir aos seus filhos a importância da privacidade e de escolher as definições certas em cada jogo e outras aplicações, de forma a proteger a informação pessoal.

Estas são algumas das resoluções de Ano Novo que, uma vez concretizadas, podem ajudar a sua família a estar mais protegida, saudável e com bem-estar reforçado. Inspire-se e construa a sua lista pessoal de desejos e compromissos.

Fonte: https://www.itmustbegood.net//post/resolucoes-ano-novo-familia

Capital seguro das habitações vai subir 4,8% em 2022

A ASF atualizou os índices de atualização do capital seguro de habitações. Em 2022, os seguros obrigatórios de incêndio ou multiriscos habitação devem contar com mais 4,8% no valor dos edifícios.

 

A ASF já definiu as taxas de atualização aplicáveis aos capitais seguros das habitações nas apólices com início ou vencimento no primeiro trimestre de 2022 e seguros obrigatórios de incêndio, como os de condomínios, devem contar com prémios correspondentes a um valor 4,8% superior no valor dos edifícios relativamente ao primeiro trimestre de 2021.

Assim o Índice de Edifícios (IE) passa para 427,19 (+4,8%). O Índice de Recheio de Habitação (IRH) para 283,24 (+1%) e o Índice de Recheio de Habitação e Edifícios (IRHE) para 369,61 (+3,6%).

No caso do seguro obrigatório de incêndio, “a atualização anual do capital seguro é obrigatória”, salienta esclarecimento disponível em secção dedicada ao seguro habitação no site da ASF. Cada condómino deverá atualizar o capital seguro para a sua fração, de acordo com o valor que for aprovado na assembleia de condóminos. Se a assembleia (de condomínio) não tiver aprovado um valor de atualização, o capital seguro deve ser atualizado de acordo com este Índice de Edifícios (IE) publicado pela ASF.

Segundo o supervisor, os índices publicados têm como objetivo, “fornecer aos consumidores de seguros um valor de referência que contribua para evitar, de forma expedita, a desatualização dos capitais seguros no âmbito de contratos que cobrem riscos relativos ao imóvel”.

No seguro de riscos relativos à habitação, o valor do imóvel seguro, ou a proporção segura do mesmo, é automaticamente atualizado pelas seguradoras de acordo com índices atualizados.

A ASF lembra que ainda que “compete sempre aos tomadores de seguros, mesmo no âmbito de seguros obrigatórios, certificarem-se dos valores a segurar, tendo em conta, entre outras, as eventuais variações regionais face aos índices de âmbito nacional e as alterações dos bens seguros”.

 

Fonte: https://eco.sapo.pt/2021/12/29/capital-seguro-das-habitacoes-vai-subir-48-em-2022/

2021 é o 4º ano de perdas seguradas mais elevadas desde 1970

Potenciados pela mudança climática, os eventos de perigosidade secundária causaram mais de metade das perdas totais que, em 2021, rondam já os 259 mil milhões dólares, estima o Swiss Re Institute.

 

Eventos climáticos extremos ao longo de 2021, incluindo trovoadas e tempestades de granizo, inverno gelado, chuvas torrenciais que causaram cheias, furacões e ondas de calor extremo resultaram em catástrofes naturais que geraram perdas seguradas estimadas em 105 mil milhões de dólares (cerca de 92,85 mil milhões de euros ao câmbio corrente).

4 maneiras de lidar com Diabetes

Diabetes, 4 maneiras de lidar no quotidiano. Sensação de sede excessiva, vontade frequente de urinar, fadiga, visão embaçada, fome e perda de peso são os sintomas mais comuns da Diabetes, que muitas vezes passam despercebidos aos doentes. Isto significa que uma pessoa diabética pode viver durante vários meses – ou mesmo anos – com sintomas moderados sem ter noção da doença.

Para prevenir e controlar a Diabetes é fundamental reconhecer estes sintomas, realizar rastreios regulares e adotar hábitos de vida saudável como, por exemplo, uma alimentação cuidada, o controlo do peso e a prática de exercício físico.

Com a quadra natalícia mesmo à porta – tão propícia, muitas vezes, a alguns excessos –, conheça quatro recomendações do Mundo Z da Zurich para diminuir o risco de desenvolver a doença e ter um estilo de vida mais saudável.

  1. Adote uma alimentação saudável e variada. Uma alimentação saudável, variada e rica em fibras é um dos pilares da prevenção da Diabetes – e é o melhor instrumento para controlar o peso e evitar problemas de obesidade. Procure consumir diariamente frutas e legumes e evite os alimentos processados ou ricos em gordura.
  1. Diga não ao sedentarismo. A prática de exercício regular é também um fator determinante para a prevenção da Diabetes, uma vez que o exercício físico contribui para o bom funcionamento do pâncreas e para controlar os níveis de glicose. Procure, por exemplo, realizar caminhadas rápidas de 150 minutos por semana (50 minutos em três dias alternados). Contudo, antes de começar a fazer exercício físico deverá aconselhar-se com o seu médico para saber qual é a atividade mais aconselhável à sua condição física.
  1. Elimine o tabaco. As pessoas fumadoras apresentam um risco de 30% a 40% maior de desenvolver a Diabetes do Tipo 2, a forma mais comum e frequente da doença. Por essa razão, o tabaco deverá ser eliminado.
  1. Monitorize a saúde com regularidade. Como a Diabetes é uma doença que se instala sem dar sinais óbvios, é importante realizar os seus exames e análises de saúde de rotina e monitorizar periodicamente os níveis de glicémia.

Estes conselhos são válidos não só para prevenir o aparecimento da Diabetes, mas também para quem já tem a doença conseguir mantê-la sob controlo. Comece já hoje a adotar um estilo de vida saudável, contribuindo para prevenir o risco de desenvolvimento da Diabetes e também de outras doenças.

 

Fonte: https://thegentleman.pt/2021/11/28-de-novembro-breves-noticias-de-domingo/

 

A importância de um Seguro de Saúde

Já alguma vez pensou na importância que a saúde desempenha na vida de cada um de nós? A verdade é que sem saúde, não conseguimos desfrutar das coisas boas que a vida nos traz nem dedicar tempo de qualidade aos nossos familiares e amigos.

Para além da nossa saúde desempenhar um papel fundamental na nossa vida e na vida dos nossos familiares, a mesma é, muitas das vezes, desvalorizada pelas pessoas.

São inúmeras as vezes que nos esquecemos da saúde ser um fator inconstante e que a cada dia corremos uma série de riscos que podem pôr a mesma em causa.

A subscrição de um seguro de saúde faz, realmente, a grande diferença na vida de cada um de nós. Um seguro de saúde traz inúmeros benefícios não só à nossa vida, mas também à vida dos nossos familiares.

Quando nos referimos aos seguros de saúde, temos em consideração a diversidade de planos que são adaptáveis às necessidades de cada pessoa. Pois, nem toda a gente apresenta as mesmas necessidades de cuidados médicos e nem todos nós possuímos urgência nas visitas rotineiras ao médico, felizmente.

Contudo, é essencial entender que a adesão a um seguro de saúde dá-lhe a garantia para usufruir de uma diversificada lista de vantagens que facilitam a nossa vida e a resolução de eventuais contratempos que possam surgir.

Algumas visitas ao médico são essenciais, especialmente quando se trata de algum assunto que o preocupa ou que seja delicado ao ponto de não poder ser adiado.

Hoje em dia, os seguros de saúde e os serviços clínicos privados são vistos como um complemento aos serviços de saúde públicos que, muitas das vezes, encontram-se sobrelotados e não conseguem garantir um atendimento adequado aos seus pacientes. A grande vantagem de possuir um seguro de saúde é ter a liberdade de escolher os médicos e os hospitais onde quer ser atendido. Além disso, a saúde privada e os respetivos seguros de saúde, abrangem todas as áreas da medicina tradicional. O que lhe garante um atendimento rápido e eficaz. Evitando assim, longas filas de espera e desmarcação de consultas.

Um seguro de saúde veio garantir melhorias no panorama geral da saúde pública e é uma grande oportunidade de usufruir de um atendimento médico qualificado, rápido e eficaz.

Para saber mais acerca dos nossos seguros de saúde, entre em contacto com os nossos profissionais.